No Brasil, a certificação dos berços deve seguir as normas técnicas da ABNT (NBR15860) e do Inmetro (NBR15860-1 e NBR15860-2). Esses selos mostram que o produto foi avaliado e aprovado para as funções a que se destina. Somente berços certificados podem ser vendidos o território nacional.

Berço Seguro em cada detalhe:

1 – Estrado: De acordo com a Sociedade Brasileira de Pediatria, é melhor que o estrado seja uma placa inteira, mas o Inmetro exige apenas que ele seja feito de ripas com vãos de até 6 cm entre elas. Certifique-se de que o estrado permita a regulagem de acordo com a idade da criança, facilitando o trabalho da mamãe e protegendo o bebê.

2 – Grades: A distância entre as grades precisa ser de, no máximo, 6,5cm, para evitar que seu filho enfie o ombro, mãos e pés nos vãos. A altura das laterais deve ser medida desde a base de cima do colchão e ter, no mínimo, 60 centímetros. Se as grades forem móveis, devem possuir sistema de travamento.

3 – Pintura: Na maioria dos equipamentos infantis, a pintura é feita com laca ou tinta atóxica. Se você for usar um berço antigo, ele provavelmente tem a pintura a base de chumbo. Será inevitável lixar o mobiliário pois os bebês mordem as laterais e podem ingerir partículas de chumbo, o que causará intoxicação, distúrbios de aprendizagem e até consequências neurológicas. As bordas e partes salientes devem ser arredondadas ou chanfradas, livres de rebarbas ou arestas. Rótulos e decalques também não podem ser colados nas partes internas.

4 – Colchão: Caso o colchão não seja parte integrante do berço, é necessário que exista uma marcação na base do móvel indicando que a espessura máxima de 12 centímetros, conforme ABNT 13579-1. O modelo ideal para bebês têm densidade D18, recomendada pelos pediatras. O vão entre a lateral do móvel e o colchão não pode ser maior que 2,5cm. Desta forma, uma vez que a criança esteja dentro do berço, não deve conseguir levantar o colchão ou a base dele.

     

5 – Rodízios: Ter ou não rodinhas é uma questão particular, pois muitas mamães preferem esses modelos pela praticidade na hora da limpeza do quarto. Mas fique atenta à qualidade do material e se elas possuem travas confiáveis para que o berço não saia do lugar quando o bebê ficar mais esperto.

6 – Montagem: O manual de montagem e instruções de uso devem ser em português. A melhor opção é contar com um profissional para montar o bercinho, mas muitas lojas não fornecem esse serviço. Procure um montador de confiança para executar o trabalho conforme as especificações. Os parafusos serão fixados com buchas e nunca direto na madeira.

7 – Material: A maioria dos berços fabricados hoje são de MDF, mas ainda há muitas mamães que escolhem berços de madeira maciça e os modelos dobráveis ou desmontáveis, que têm estrutura de ferro, alumínio ou inox revestida ou não de espuma. Nestes casos, não esqueça de conferir também cada detalhe de segurança e o selo do Inmetro.

 

Matéria Retirada do Blog - Gravidas Antenadas

link da Matéria - Clique e Confira!

Publicado por: Por Patrícia Azevedo em 06/02/2017